terça-feira, 28 de setembro de 2010

Chame a Deus.

Você não sabe para onde seguir
Se você perceber e não quer mais fingir
Levante a cabeça e não olhe para trás
Chame a Deus.
Se sua vida anda um abismo sem fim
Se teus olhos choram e não querem este fim
Levante a cabeça e não olhe para trás
Chame a Deus que a tua vida logo mudará
Ele cura a ferida te libertará
A verdade e a vida Ele quer te dar
Chame a Deus que o tempo passa e não volta mais
Será chance ,sua vida pode se acabar
Ele cura a ferida te libertará
Chame a Deus

[Kim]

sábado, 25 de setembro de 2010

É você, já basta.

Em todos esses meses, não pude encontrar nenhuma musica, frase, ou até mesmo palavras que nos descrevesse. Eu mesma juntei fragmentos de textos, livros, citações, mas nunca formei nada a altura que pudesse levar nosso nome. Hoje encontrei um que disse coisas que sempre me faltaram encontrar, um único texto médio que pode me ajudar entender o muito que sou eu e você. Mas, que fique bem claro, essas palavras pouco dizem ainda sobre tudo, sobre nós, e fico feliz em notar que nada nesse mundo tenha sido igual. Fico feliz em saber que nossa historia é única, assim como nós.

Carolina Assis

Só de me encontrar
Em seu olhar
Já muda tudo
Posso respirar você
Seu Jorge

Te liguei só pra dar Bom dia.- Te escrevi pra comentar aquele dia.- Te amei porque já não tive escolha. Assim como quem não quer nada, ele chega e desarruma a minha casa, meu coração. Veio pra descumprir as regras, e amar, amar e amar. Sem o medo do fim, sem o medo do início. Se começar que bom, se terminar antes disso, que bom. Que bom é isso, amar e fingir que não é nada. Tentar acordar e não pensar nele, tentar ir dormir sem pensar nele. Tentar almoçar, escrever, tocar sem pensar nele. Que bom é isso de conseguir disfarçar para todos, menos pra ele. Que bom é isso. Ouvir uma frase que denuncia o ciúme. Poder tocá-lo e receber no outro dia o mesmo toque. Que bom é isso, confundir o que é amigo e o que é amante. Que bom é isso, de ser distraído. Se há alguém que confunde tudo sou eu. Se há alguém que ama minha confusão é ele. Que bom! Eu prometo que hoje eu não falo mais do que passou, e você vai ver que dos outros já nada restou. E eu não vou mais expressar o meu ciúme, vou deixar isso pra você. E hoje faz meses e hoje é só mais um dia que eu te queria e você sabe, sempre há um jeito de comemorar o que não se viveu, e você sabe poderia ter sido ontem. Que bom isso, de não precisar mudar nunca, de eu não precisar esperar. Que bom é você. Sempre me dizendo coisas sem dizer, pra só depois me cobrar que não entendi. Que bom é isso. Que bom é amar, amar e ainda sermos amigos.

[Luana Gabriela - Ela faz rimas, ele o café]


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Por que borboletas? Duram tão pouco.

Disse a flor para o pequeno príncipe:
É preciso que eu suporte duas ou três larvas
se quiser conhecer as borboletas.
[Antoine de Saint -Exupéry]

Mas a flor esqueceu de dizer que as borboletas vivem tão pouco.
Ela suportou larvas em momentos de todos os dias, momentos terríveis, dolorosos, que pareciam não acabar nunca. E acabavam.
E vinham aquelas maravilhosas criaturinhas.
Passou o resto dos dias com lindas borboletas a visitando...
Mas elas sempre iam embora.
Cedo demais, simplesmente sumiam, e não voltavam.
E a flor suportava mais larvas, porque as queria de volta, mesmo sendo outras.
Eu fui a flor por muito tempo, e ainda sou.
Orgulho-me disso, dessa insistência, desse tempo percorrido, dessas cicatrizes criadas pelas minhas larvas preferidas, dessas finalidades... Esse final que nunca chega.
Mas é assim mesmo, na vida todo final é sempre um recomeço. Odeio finais, amo começar, e recomeçar, e começar de novo.
Por isso para mim, final é começo. E Fim. E começo...
E borboletas, e larvas, e borboletas... e esperança, de que um dia elas se tornam resistentes e passem a viver mais, para mim, e diante de meus olhos.
As do estômago andam me enjoando.
Carolina Assis


"Estamos agindo certo sem saber onde o certo nos levará, se para o céu ou para uma úlcera.Existem dias – e só confessamos isso para o terapeuta ou para o melhor amigo – em que gostaríamos de sumir no mundo, deixar para trás todos os afetos que nos são sagrados, todo o nosso currículo de tarefas bem-feitas, e ficar à disposição do imponderável, dos impulsos, do incerto."
Martha Medeiros

sábado, 18 de setembro de 2010

Preciso te dizer que dará tudo certo?

Sei que a vida não é só de momentos bons
É, há tempos difíceis.
A vida é mesmo assim,
Mais se a gente colocar a nossa fé em ação
Vai dar tudo certo.
[Waldecir Aguiar]

Meus posts estão ausente devido a intensa falta de tempo [e inspiração] que me acomete. Não prometerei que tentarei escrever alguns texto, porque de fato não tentarei. Já ando tentando muito. O vestibular esta muito próximo, muitas coisas acontecendo, deixei de escrever, e comecei a falar. Então todos que me rodeiam ando ouvindo muito minha ideias, quando não estou lendo, estou falando. E embora esteja gostando muito disso, espero que a inspiração retorne e eu possa criar mais palavras sem sentidos que só eu entendo, e passa-las para a caixa de texto com minhas imagens preferidas. E fica então, a minha explicação para a ausência de post criativos e novos. E a minha incerteza, tanto quanto a de vocês, de meu retorno efectivo.

Carolina Assis


Provisoriamente não cantaremos o amor,
que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos.
Não cantaremos o ódio, porque este não existe (...)
[Carlos Drummond de Andrade]




terça-feira, 14 de setembro de 2010

Atenção: Essa vida contém cenas explícitas de tédio...

...Nos intervalos da emoção.
Alice Ruiz

- Você está feliz?
- Por que?
- Curiosidade. Mas, responde, você está feliz?
- Estou feliz, estou muito feliz.Por que não estaria?
- Você não é feliz - Não era uma pergunta.
- Por que você está dizendo isso? Não sou uma das pessoas mais alegres que você conhece?
- Você sorri sempre. Sempre tem palavras doces para todos. Sempre tem uma canção na ponta da língua.
- Então, sou contente...
- Verdade. Ri de tudo. Mas, quando não acha que esta sendo observada fica pensativa.
- Eu penso demais. Isso não significa nada. Eu sou feliz e ponto. Que coisa. Tenho um buquê de sorrisos.
- É até pode ser. Mas são seus olhos.
- O que tem eles?
- Seus olhos. Eles não brilham mais.


[Silêncio - meu e dele]

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Sermão do Mandato.

"Quando você se agarrar a alguma coisa, ela pode não existir no mundo"

A segunda ignorância que tira o merecimento ao amor é não conhecer quem ama, a quem ama. Quantas coisas há no mundo muito amadas, que, se as conhecera quem as ama, haveriam de ser muito aborrecidas! Graças logo ao engano, e não ao amor.
Deste discurso se segue uma conclusão tão certa como ignorada: e é que os homens não amam aquilo que cuidam que amam. Por quê? Ou porque o que amam não é o que cuidam; ou porque amam o que verdadeiramente não há. Quem estimas vidros cuidando que são diamantes, diamantes estima e não vidros; quem ama defeitos, cuidando que são imperfeições, perfeições ama e não defeitos. Cuidais que amais diamantes de firmeza, e amais vidros de fragilidade; cuidais que amais perfeições angélicas, e amais imperfeições humanas. Logo, os homens não amam as coisas, não como são, senão como as imaginam; e o que se imagina, e não é, não há no Mundo. Não assim o amor de Cristo, sábio sem engano: 'Cumdilexisset suos, qui erant in Mundo' ".
[Padre Antônio Vieira]

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Estou sendo alegre neste instante...

...por isso me recuso a ser vencida. Então amo como resposta
Clarice Lispector


Procuro em tudo que me rodeia, você. Ou algo que leve um pedaço seu.
Não por melancolia ou saudade, mas por sobrevivencia.
Não me lembro a ultima vez que não me importei, não sou capaz de lembrar quando deixei de viver para mim, e passei a vive em nome de tudo que amo.
Em seu nome também.
Não recordo, tão pouco, como é sentir o coração estável.
O meu nunca fora. Não depois de você.
Agora, minha vida é uma montanha russa constante. As descidas e voltas, eu diria que são os momentos que estou contigo. O caminho plano é quando esta ausente. Mas mesmo nesses momentos meu coração fica agitado, porque na montanha russa, você sabe que a qualquer momento pode haver uma descida brusca. Com você funciona exatamente igual.
Você sempre aparece. Mais cedo ou mais tarde.
Então ele fica assim, inquieto. Fazendo-me ter excesso de adrenalina no sangue todos os dias.
Excesso de você. Uma excesso que meu corpo já não sabe ficar sem.
Um excesso que faz parte dele.
Um excesso que se tornou ele todo.

Carolina Assis

E no meio da noite, quando eu decido que estou ótima afinal de contas tenho uma vida incrível e nem amava mesmo você, eu me lembro de umas coisas de mil anos e começo a amar você de um jeito que, infelizmente, não se parece em nada com pouco amor e não se parece em nada com algo prestes a acabar.
Tati bernadi

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Homenagem ao horario politico brasileiro...

Espantalho: Eu não tenho um cérebro, só tenho palha.

Dorothy: Mas como você pode falar, se você não tem um cérebro?

Espantalho: - Eu não sei... Mas também tem tanta gente sem cérebro por aí que fala aos montes não é?

[ Frank Baum - O Mágico de Oz]

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Depois dos três pontinhos.

O cara me amava, e eu nem o notava.
Eu o enxerguei e ele desapareceu.
Pra sempre.

Gostaria de dizer que essa história só aconteceu comigo, mas sei que estaria mentindo. Isso é tão comum quanto se apaixonar pelo melhor amigo, quanto querer um beijo do professor de portugês, quanto sentir saudade do ex namorado num domingo a tarde.

Acontece.

Você se apaixona por um cara que aparentemente sente o mesmo por você; ele manda flores e você cria borboletas. Tudo lindo. Até que em um belo dia ele acorda com vontade de nunca mais. Não te liga. Não te atende. Monosilabico. Sim. Não. Depois.

O segredo talvez seja nunca entregar o troféu. Não dizer eu te amo – sempre – primeiro. Deixar claro que existem outros concorrentes, outras chances de ganhar. Que o jogo ainda não acabou.

Então amar é jogar um jogo? Não.

Fazer durar pra sempre é.

[Br]

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Não esqueça que até o que acaba não tem fim...

... entenda que a eternidade está no momento de existir.

Fica mais fácil acreditar nas coisas quando elas não existem mais.
No meu caso, nunca existiram.
Passei meses lutando contra a realidade, para acreditar no que me fazia bem.
Era ilusão.
Não daquelas acompanhadas de decepções. Estas nunca vieram.
Acordei antes.
Sempre acordo antes.
Aprendi acordar antes por costumes, por odiar finais.
Até mesmo os felizes.
Era uma final de qualquer maneira. Acabava.
Com felicidade ou não. Tinha um fim. Um ponto final.
Por isso luto contra esse tipo de pontuação,
e adoto as reticencias como companheiras.
Valorizo o meio feliz, um começo inesquecivel,
e o que vim depois, eu deixo para ele. Para o depois.
Afinal, depois que se acorda, é quase impossivel voltar para o mesmo sonho.
E assim termina. Sem final.
Apenas reticencias...

Carolina Assis





Ele
estendia à mão e nada mais me faltava.
Era só ilusão.
Mas, foi a coisa mais real e autentica da existência.
E o seu sorriso? Ah, o sorriso me dói até hoje.
Mas, repito... era só ilusão.

[Lia Araujo]

sábado, 4 de setembro de 2010

Do amores que não vingaram..

(…) dessa vez era um amor mais realista e não romântico:
era um amor de quem já sofreu por amor.
Clarice Lispector


Esperei a por muito tempo. Talvez tempo demais.
Cheguei a desistir muitas vezes, mas voltei atrás em todas elas.
Até que resolvi não esperar mais... Passei a procura-la.
Perdida em rosto desconhecidos estaria ela, esperando por mim.
Como eu a esperei.
Quando a encontrei, deparei-me com um rosto que não esperava nada.
Que já tinha tido algo, que a tinha feito ter medo da espera.
Quem voltou a esperar fui eu.
Passei pela vida da minha garota, esperando que me notasse.
Mas outros já haviam passado antes. O estrago estava feito.
Esperei-a, procurei-a, encontrei-a, e agora?
Agora, esperar de novo, é o que me resta a fazer.

[Carolina Assis]

Eu não tenho medo do amor.
Eu tenho medo é de amar quem tem medo dele.
Amar quem teme o amor é como se apaixonar
por uma sucessão de desistências.
Marla de Queiroz

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Para parte surda do coraçao ouvir, faça silencio.


Sumi porque só faço besteira em sua presença, fico muda quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar. Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar. Sumi porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico, sumi porque sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência, pareço desinteressada, mas sumi para estar para sempre do seu lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua desajeitada e irrefletida permanência.
Martha Medeiros

- É que as vezes se afastar é a coisa certa a fazer...
- Você sempre diz isso, nunca a vi se afastar.
- Nem sempre a coisa certa é uma só.
- Ah, para tudo se tem outro caminho?
- Sim, para tudo.
- Para que escolher se afastar então?
- Porque não são todos que levam para o mesmo lugar.
- E para qual lugar você quer ir?
- Para perto.
- Por isso nunca se afastou...
- É.

É, é exatamente por isso.

[Carolina Assis]