segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Pedidos para a semana... e para a vida!

Porque fé, quando não se tem, se inventa.
[Caio Fernando Abreu]


A segunda sempre marca o começo da semana, e que dessa vez, marque o começo de uma nova era. Pelo menos para mim. Que eu encontre novas razões para escrever, e que elas falem de coisas bonitas, mesmo por outros motivos... Que encontre outros motivos, quando tudo falhe, mesmo se for preciso inventa-los. E principalmente, que o verbo escrever não venha ligado a sua imagem. Que minhas musicas sejam fáceis de escutar, e que lembrem momentos, e não pessoas... e não você. Que as borboletas só fiquem diante meus olhos e não no meu estômago. Que minha mãos gelem apenas com o ar condicionado que tanto odeio da minha sala de aula, e que ignore o aperto na garganta quando o celular apita. Que eu não espere o dia todo para você me dar vida, e que você não precise ir para me dar ar. Que os livros passem a me instruir e não apenas distrair meus sentimentos obsessivos. Que os rostos me lembrem beleza, e que eu procure deixar de procurar a sua em todos eles. Que as lembranças continuem me fazendo sorrir, mesmo quando tudo isso passar. E que eu sorria, quando você passar e não ficar. Que o tempo não seja devorador, mas sim curandeiro, e apenas passageiro. E que ele passe junto comigo, sem pressa. Que o vento me trague coisas novas, e que não seja forte o suficiente para levar as antigas. E que a brisa da minha sacada, sempre traga-me perfumes diferentes, para meus sentidos se acostumarem com a diferença. Que o silencio não fale de você, que o barulho fale de mim. Que tudo se ajeite, e que o jeito seja o meu. Pelo menos dessa vez. Que a lua continue brilhando e o mundo sorrindo, que meu chão seja de estrelas, e o céu colorido. Que as perguntas sejam respondidas sem precisa de uma resposta, apenas provas. Que não haja motivos para pensar em desistir, e que se houver, que eu possa muda-los, lembrando que sempre consegui as coisas a quais lutei. E que no fundo, você seja um delas. Ou que mais tarde eu não queira que você seja. Mais tarde, porque hoje ainda é segunda. Mas... quem sabe na sexta.

Carolina Assis.

domingo, 29 de agosto de 2010

E se fossem práticos...

"E você, meu amigo galvanizado, você quer um coração. Você não sabe o quão sortudo és por não ter um. Corações nunca serão práticos enquanto não forem feitos para não se partirem."
O Mágico de Oz


- É verdade que o amor pode tudo? supera tudo e traz felicidade?
- É sim... é verdade. Mas, para te poupar, seria melhor que nao acreditares.

Lia Araujo

sábado, 28 de agosto de 2010


“O amor de Deus por nós é aquele amor que olha
para o fundo de nossa alma e é capaz de enxergar
que ainda valemos a pena, apesar de nós mesmos
já estarmos convencidos do contrário.”

Pe. Fábio de Melo

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Talvez um dia... Talvez outro!

É triste saber que um dia vou ver você passar e não sentir cada milímetro do meu corpo arder e enjoar. É triste saber que um dia vou ouvir sua voz ou olhar seu rosto e o resto do mundo não vai desaparecer. O fim do amor é ainda mais triste do que o nosso fim.
Tati Bernardi


Talvez uma dia eu resolva olhar para os lados, ou para algum lugar que você não esteja. Quem sabe algum dia eu queira estar em algum lugar que não seja ao seu lado. Quem sabe acorde preocupada apenas com o estado do meu cabelo e não em como te conquistar, que um dia eu vá dormir vazia novamente, e que eu possa controlar tudo que penso antes de dormir. Quem sabe eu possa ouvir 'Watch Over You' com o coração estável, ou ver um filme de amor sem nos imaginar no roteiro. Talvez passe um dia sem pensar em você, talvez pare de olhar as horas iguais e achar que você esta pensando em mim, só porque quando você me liga sempre com números iguais. Talvez um dia possa pegar no sono sem receber seu 'boa noite', e pare de querer te contar cada detalhe do meu dia, e esperar que você conte do seu. Quem sabe eu passe a andar na rua sem querer te encontrar, e que meu coração não salte pela boca quando eu saber que isso acontecera. Devagar e aos poucos... que eu possa ouvir outras vozes quando você esta em silencio, porque até o seu silencio para mim é muito barulhento, e que um dia eu pare de acha-lo assim também, que esse silencio se torne comum como os outros. Que um dia eu me torne uma assassina e passe a matar você sempre que seu rosto invadir meus pensamentos. Quem sabe um dia deixe de dizer seu nome a cada duas palavras - as vezes uma - que eu deixe de ir aos lugares que você pede, ou que passe a cor de esmalte que pediu. Talvez um dia eu eu não sinta minhas mãos esfriarem tão violentamente sempre que vejo seu nome na tela do meu celular, ou que eu deixe de fazer qualquer coisa para te ver quando pede. Um dia deixarei de ouvir sua voz mesmo estando longe, e o livro 'A noite o céu é perfeito' pare de falar de você. Talvez um dia todas minhas borboletas morram, meus sonhos me abandonem e as musicas me enjoem. Quem sabe eu até encontre um paraíso que não seja nos seus braços, e que eu volte acreditar que não há coisa melhor do andar com garotos, porque até isso você me tirou. Ah, e que tudo que você me tirou um dia volte para mim, que você devolva meu coração inteiro, e as cores do meu sorriso sozinho. Porque o desejo mesmo sem você. Desejo meus olhos brilhando sem os seus a cima deles, e que um dia passe por aquelas ruas sem lembrar de você. Quero que um dia eu pare completamente de te procurar em todo mundo, e de escrever sempre na esperança de você ler. Talvez um dia pare com essa obsessão por virgulas e reticencias, e os troque por pontos finais. Que eu tenha coragem de dizer 'Era uma vez' sem desejar um 'feliz para sempre' . Que um dia você entenda a gente e queira que eu te ouça, e talvez nesse dia eu tenha me acostumado com seu silencio. Que você saiba um dia, que tudo que fiz foi loucura, e que a minha maior loucura seja querer que tudo isso um dia morra. Junto com você dentro do meu peito. E se quer saber, nesse diz serei tão dura, tão insensível, tão fria, que terei pena de mim.

Carolina Assis

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Definição em imagens.

Vi em varios blogs que as pessoas definiam algumas coisas de sua vida em imagens, e depois indicavam pra outras. Nao resisti, e fiz um também.

O que sou...



O que me faz sorrir...




O que nao me faz sorrir, nem um pouco...

Vicios...

O que me acalma...



Minha cor...


O que acredito...



O passado presente...




Meu Futuro...

Indico para a Mandy Frizzo postar em seu blog, e para todos que gostaram.

Carolina Assis

terça-feira, 24 de agosto de 2010

No entando, para dizer a verdade, hoje em dia a razão e o amor quase nao andam juntos.

William Shakespeare

Quantos ao amor é verdade que amei muito e amei errado,
com demasiada paixão. Mas alguém ama certo?
Ruben Braga


Queria um dia entender o porque te desejei de longe.
Quero poder saber o motivo que me levou a te querer
por perto depois de aprender a te desejar.
Quero inclusive, isso te perguntar.
Quero cada dia mais seus sorrisos.
e ser o motivo da maioria deles.
Quero arrancar as esperas do calendário.
Quero entender o tempo ao tempo
também quero que ele não demore.
Quero aprender a te esperar,
e que você espere eu aprender.
Quero o mundo nas minhas mãos,
não inteiro, apenas a parte que leva seu nome.
Quero as palavras que não são ditas,
quero os pensamentos mais profundos,
e os sentimentos que a mim pertencem.
Quero disfarçar as cicatrizes,
as fotografias que não tiramos,
a luta que desistimos.
Quero a fantasia de sempre,
o encanto rotineiro, que sempre se modificava.
Quero construir meus castelos,
e te chamar para morar neles.
Quero meu nome saindo de sua boca,
e seus braços vindo até mim.
Quero meu quarto com seu cheiro, e meu cheiro em você.
Quero começar de novo, mas que seja tudo igual.
Quero talvez um fim, mas que nunca termine verdadeiramente.
Quero poder acabar com isso antes
que seja tarde demais para minha sanidade.
Alias, quero a sanidade também.

Carolina Assis

"Quero ainda, você inteiro, e minha metade de volta"

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Não cortaremos os pulsos, ao contrário...

... costuraremos com linha dupla todas as feridas abertas.
Lygia Fagundes




Ouça aqui, mocinha. Não fique pensando que o mundo lhe pertence não. Não caia nessa onda. E outra coisa – não se esforce. Pelo menos não tanto. Não fique ai remando contra a maré. Dando murro em ponta de faca. Veja – se não fora pra ser, não vai ser. Acredite em mim. Coisa boba essa sua tentativa de ir alem. E olhe, eu não estou pedindo pra você desistir não, não é isso. Eu só quero que você pense mais, que leia mais. Que tenha argumentos melhores. Você está muito nova ainda. Cresce!

Caio F. Abreu


Ai, se eu escutasse o Caio...

domingo, 22 de agosto de 2010

Quem só acredita no visível tem um mundo muito pequeno.


Tentaram me fazer acreditar que o amor não existe e que sonhos estão fora de moda. Cavaram um buraco bem fundo e tentaram enterrar todos os meus desejos, um a um. Mas como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes. Porque aprendi, que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. (...) E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço.
Caio Fernando Abreu




Passo cada dia tentando arranjar uma razão para tudo isso. Para toda essa vida, ou como gosto de dizer, essa 'passagem' por esse planeta azul. E em todos esses dias consigo uma nova. Porque a verdade é que existem milhares de razoes para se viver e sorrir, e encontrar cada uma delas é o melhor jeito de de se fazer isso. As vezes são razoes absurdas, e essas são as que geralmente mais gostos. Trazem dor em algumas partes, mas não se ganha nada sem algum tipo de sofrimento, e aprender a ser feliz é a melhor forma de se sofrer - ao menos você saber que é tudo por uma causa maior. Outras vezes, minhas razoes são tolas, como qualquer ser humano, erro. E como qualquer garota adolescente persisto no erro, mas alego sempre não saber do que se trata. Ainda gosto de voltar atrás, nessa idade os problemas possuem resoluções fáceis, e para quase tudo sempre há uma ou mais saídas. Isso quase sempre serve de inspiração para algumas crenças, e atitudes impulsivas. Contudo acredito que muitas das minhas não foram tão impulsivas assim, tive tempo para pensar em cada detalhes de todas, esse tempo só não foi bem aproveitado. De qualquer forma, se minha idade não era contra ao que acreditava ou escolho acreditar, o mundo é. A visão pessimista de todos os indivíduos quase podem me derrubar. Quase. Minha razoes de sobrevivencia no meio desse caos, ainda é acreditar nas coisas belas que quase ninguém vê, e vê-las principalmente nessas pessoas. Porque a minha maior razão, é ter algo que me impulsione a creditar nas coisas, para assim acreditar na vida. E acreditando na vida, é a melhor maneira de ser feliz. Porque como sabemos, poucas pessoas acreditam na felicidade. Eu acredito.

Carolina Assis


Não, ela não era tola.
Mas como quem não desiste de anjos,
fadas, cegonhas com bebês, ilhas gregas
e happy ends cinderelescos,
ela queria acreditar.
Caio Fernando Abreu

sábado, 21 de agosto de 2010

Uma parte de mim pesa, pondera: outra parte delira.



“Descobri que na frente dele não consigo dizer muita coisa.
Mas sorrio o tempo todo, e só faço isso porque tenho vontade,
porque ele me instiga a sorrir, porque ele me olha…
e me olha parecendo querer me descobrir…
E eu o olho com um monte de interrogações na mente.”

[Flor]

E esse olhar sempre o fazia sorrir de volta para mim.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Lutar é lindo, mas as vezes dizer adeus é mais.

A verdade é que dei espaço demais:
E tem sentimentos que desmerecem hospitalidade.
Patty Vicensotti


Chega um momento em que já não se sabe a onde ir, por ter ficado muito tempo em um mesmo caminho. Em um mesmo rumo. E demora muito para perceber que essa direcção talvez não leve a lugar algum, talvez nem mesma exista, não realmente. Dentro de mim existiram muitas coisas sobre você, a maioria delas eu que as inventei. Sempre te idealizei. Exclui todos seus defeitos e paranoias, suas mania infantis e seus gestos que mostravam enormes falhas em seus carácter. Mais tarde descobri o que era carácter. Descobri também que o qual eu via em você, era apenas isso. Apenas eu vendo em você. De novo, apenas eu. Por muito tempo foi isso, e ainda é. A diferença são as escolhas, isso sempre soube. E agora escolho não escolher você. Escolho ver sua imagem como de fato ela é, e não a da minha mente fértil. Escolho sentir suas palavras com o tom que você as diz, e não como meus ouvidos apaixonados a transformam em melodia. Até mesmo quando grita. Escolho mudar de rumo pela primeira vez na vida desde que te conheci. Não substituir mais pessoas, para que você se sentisse seguro. Você nunca precisou de segurança. Eu precisei. Precisei de segurança e por muito tempo a tive. Mas isso eu também inventei. Via o que queria, mesmo a vida e a maior percentagens de conhecidos me mostrando o que era real. Nunca gostei de realidades, eu gostava era de você. E você nunca fora real. Seu cabelo Tao macio só era assim porque minhas mãos os desejava mais do que a qualquer outra coisa, seu cheiro tão bom era um perfume, que alias, outro dia senti em um garoto que passava na rua. Um perfume comum, não o melhor cheiro do mundo. Mas recuso-me a simplificar seus olhos, eles sim são reais da forma como os vejo.Mistérios, perdição, caminho sem volta. Sempre vi tudo isso neles, e agora entendo o porque. Talvez hoje, isso tudo faça algum sentido, um sentido real. O idealizado eu deixei para você. O você que eu sempre terei aqui dentro de mim.Mas por enquanto, irei trilhar outros caminhos, só para descobrir se você tem algum tipo de salvação. Se tiver, eu volto.Se não... Bem, idealizações nunca foram meu forte.

Carolina Asiss



Aquele abraço era o lado bom da vida, mas para valorizá-lo eu precisava viver.
E que irônico: pra viver eu precisava perdê-lo...
Tati bernadi












Texto dedicado a minha amiga Mariana,
que esta sempre comigo, em todos meus dias,
momentos, decisões e sorrisos, por ter gostado
desse blog e das minhas palavras.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Eu prefiro os laços firmes.


Aqueles mais difícieis de se fazer
E de se desfazer
Mas que quando feitos
E depois desfeitos
Podem se orgulhar de si próprios
E falar com convicção
Eu fui um grande laço

É bobagem chorar por laços que parecem desfeitos
Mas que continuam firmes
Alguns laços são teimosos
Às vezes a gente pensa
“Puft, lá se foi ele”
Mas ele vai está sempre ali.
Que nem alguns amores.

Adriana Falcão no curta “Laços”

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Sobre a brincadeira de levar a vida a serio.

Sou uma mulher madura que, as vezes brinca de balanço.
Sou uma criança insegura, que ás vezes anda de salto alto.
Martha Medeiros

Dizem que quem não leva a vida a serio não chega a lugar algum. Pelo menos era o que meus pais diziam. Cresci vendo os adultos levarem a vida a serio demais. E diziam que isso era ser adulto, levar a vida a serio. Pensei nessas palavras durante anos, mas nunca as pratiquei. Nunca levei a vida a serio. Gostava de ter alegrias constantemente fazia parte de mim isso, gostava de gargalhadas no meio de conversas serias, abraços entre brigas, e brincadeiras em momentos de tensão. Os que levavam a vida a serio, não faziam isso, as brigas eram brigas, não havia carinhos nelas, nem poderia haver abraços. Conversas serias e decisivas não continham sorrisos. Particularmente sempre achei que adultos sorriam pouco. Eles só sorriam quando tinham motivos extremos. Para mim a necessidade de sorrir sempre foi uma excelente motivação. Motivava-me ainda mais saber que alguém sorria me vendo sorrir, eu sorriria de novo, e o circulo nunca se fecharia.
É, talvez eu nunca leve a vida a serio.
Mas prometo, continuar sorrindo.

Carolina Assis



As pessoas mais felizes são aquelas que
parecem não ter nenhum motivo particular
para serem felizes, só que os são.
William Inge



Ser feliz sem motivo
é a mais autêntica forma de felicidade.
Carlos Drummond de Andrade

domingo, 15 de agosto de 2010

Quanto se pode amar?

Se for amor mesmo,
não cabe numa vida...
e nem na gente...!


- Devíamos ter mais opções de escolha.
- Como assim?
- Escolher de quem gostar, por exemplo...
- Isso não dá.
- E se desse, o que você faria?
- Ainda assim escolheria você.

Cáh Morandi

sábado, 14 de agosto de 2010

O que somos é o presente de Deus para nós.

O que nos tornamos é nosso presente para Deus.
Eleanor Powell


É justo que Deus sendo tão puro, se revele apenas aos que purificam seu coração.
Blaise Pascal



Acho impossível que um individuo contemplando o céu
possa dizer que não existe um criador
Abraham Lincoln

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Ninguém quer confissões aqui. Nem reminiscências.


Eu não quero confessar nada. É só um desabafo. Antes que isso vire um câncer e me corroa. Tentei tanto não ficar amarga. Não perder a fé. Esse espaço perdeu o sentido. O motivo de escrever não existe mais. Comecei a escrever aqui para provar que sabia coisas sobre o amor, que poderia te ensinar a se sentir amado. Coisas que ninguém mais te diria. Ou te dirá. Queria repartir com você o que eu senti e não consegui te dizer. Queria descrever a compreensão exata do amor. Quanto idiota. Tolice. Eu passei tanto tempo preocupada com meus estudos, enterrada em livros, ouvindo e assistindo coisas que me fariam crescer, amadurecer. Se leva muito tempo construindo a pessoa que se deseja ser. Sempre quis ser inteligente, culta, critica. Grande coisa. Mas não passo de uma pessoa estúpida. Sou tão idiota e carente, que escrevi o que escrevi até hoje para ganhar teu afeto. Mendiguei descaradamente sua atenção, subornei palavras transmitindo meus apelos patéticos, envolto em palavras doces e inspirativas. Assumo hoje minha doença. Desculpe-me se enganei a todo mundo por aqui. Eu também fui enganada. Mas, tenho consciência que o engano foi meu e realizado por mim. Você esta isento. Você tinha razão. Eu não estou preparada para te conhecer verdadeiramente. A sua armadura me machuca, meus dedos sangram no processo de tentar remover esse blocos de metal que você chama de sentimento. Sempre te idealizei como meu "Homem de Lata", sempre suspeitei que houvesse um coração ai nesse monte de ferro. Esse é o problema, eu sempre te idealizei. Só via o seu melhor. Ou o que eu queria ver. Odeio seu ÁLTERES. Odeio ser assim, patética e ridícula.

Liá Araujo

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

É preciso saber perder-se quando queremos aprender algo das coisas que nós próprios não somos.

Friedrich Nietzsche

Estou cansada de viver como se fosse uma pessoa adulta e madura.
Gostaria de voltar a ser criança - uma garotinha de seis anos que caiu de bicicleta. Gostaria de fazer cara de choro e correr aos berros para a cozinha, onde minha mãe me ergueria do chão, me daria um forte abraço e beijaria meu joelho esfolado. E pararia de chorar e tomaria leite com chocolate para a dor passar. Essa é uma das coisas que as pessoas não nos ensinam quando falam de crescer: como lidar com as dores que não passam com um beijo.
Lynda Waterhouse

Pudera eu, hoje, entender o quão era bom um chocolate quente. Mas agora até isso me deixa meio paranoica, quem dirá aliviar alguma dor.
A realidade é que nunca parei para pensar no que significava aquela caneca, e aquele beijo no joelho machucado, e percebi que isso era a razão de tudo, não pensar. Não se pensava em nada, só vivia.
Crianças vivem, não existem. Se apaixonam por tudo e por todos. Pela folha, pelo cachorrinho, pelo lacinho novo ou pela boneca da vizinha.
Eu nunca brinquei de bonecas, mas amavas os passarinhos. Eles cantavam para mim quando eu era mais nova, ou era nisso que eu acreditava.
Não me lembro da ultima vez que ouvi um passarinho cantar.
Acho que eles me esqueceram. Talvez eu tenha esquecido eles.
Não me lembro também da ultima vez que beijaram um machucado que fiz, muito embora eles estão longe demais dos outros, em uma parte que só eu consigo chegar. Isso me faz recordar que não esfolo o joelhos a muito tempo.
o que me leva a perceber que as coisas que me faziam viver naquela época, um tanto quanto recente, hoje não estão presentes. Hoje, meus joelho só tem as cicatrizes antigas, e meu choro, quando vem, não são por elas.
São pelas recentes.
Elas não estão no joelhos.
Mas me contento em saber que não sangro tão fácil, mas tenho feridas profundas que quase não lembro que existem, iguais as do joelhos, joguei purpurinas nelas, e continuo achando tudo muito bonito, até mesmo as cicatrizes.

Carolina Assis

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Adoravel Psicose


"Então eu não posso gostar de você como pessoa?"
"Não, não pode. É a lei."
"Mas você não é uma pessoa?", ele perguntou, cheio de sarcasmo.
Tive vontade de beijá-lo, mas resisti e respondi que sim, eu era uma pessoa.
"Eu posso gostar de você como árvore, se preferir."
Dessa vez não tive vontade de fazer nada, apenas o encarei, séria.
"É como se você entrasse numa loja de chocolate", comecei,
"procurasse uma caixa de bombons, achasse bonita, provasse alguns e depois dissesse 'olha, eu não vou levar não, mas fique sabendo que gosto muito desses bombons... como chocolate.'"
Silêncio.
"Não é a mesma coisa", ele afirmou, depois de ter pensado um pouco a respeito.
"Claro que é! Que diferença faz se você achou o bombom bonito, gostoso, inteligente, engraçado, legal? Chega a ser irritante!", gritei.
"Pro bombom, é claro..."
"Natalia..."
"Não. Você não escolheu o bombom. Você não me escolheu. Agora respeite a lei, e saia desta loja."
"Quê?"
"É uma metáfora..."
"Ah, sim."

Natalia Klein

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Eu apenas empresto meu coração, sempre o pedirei de volta.




É que eu não amo ninguém
Não amo ninguém,
parece incrível
Não amo ninguém
E é só amor que eu respiro
Cazuza





As vezes a magia de se gostar de alguém, é não gostar tanto assim. Não se doar tanto, não sofrer com as esperas, nem com as partidas. Diz um filme que um relacionamento esta na mão de quem se importa menos. Mas se importar é uma das caracteristicas de alguém que ama, esperar, se doar, sofrer também. Porque o amor é isso, o amor é estar com quem gosta se importando com com esse alguém. Mas seria incrível se isso não fosse impossível. Estar com a pessoa e ser feliz, mas ter a certeza que a felicidade também estará presente, mesmo com a ausência dessa pessoa. Saber esperar, mas viver enquanto isso. Viver, e não sobreviver. Ser inteiro, entender que um ser humano já nasce com tudo para estar completo, que seus relacionamentos apenas o aperfeiçoam em determinados momentos da vida. Sorrir vendo outros sorrisos, e não apenas da pessoa amada. Mas nada disso é o que chamamos de amor.
Sempre fiz tudo isso. Dizem por ai que não amo ninguém, mas é só amor que respiro.

Carolina Assis
É impressionante como
eu não gosto de ninguém mas,
de vez em quando, escapa um momento,
um gesto, uma pessoa perdida e linda e única.
Tati bernadi

domingo, 8 de agosto de 2010

Ah, minha compreensão.

- Sorte que estou distraída.
- Ela não fez por mal.
- Ela gritou comigo, não sou nada dela para gritar comigo, nem a conheço.
- Ela fala alto, não acho que tenha gritado.
- E eu acho que você é calma demais.

A garota fechou a cara e me deu as costas. Parecia ter ficado ofendida com minha ‘ calma’. Em outros tempos eu que me ofenderia por sua atitude ríspida, mas apenas sorri. Sorri porque era engraçado como não havia ofendido ninguém, nem ideia alguma, mas compreensão incomoda, atitudes diferentes incomodam. Nunca fui igual a ela, mas talvez ela viesse ser um pouco do que sou. Compreensiva. Porque era apenas isso que eu era. Compreensiva, e não calma. A garota se enganara ao dizer que eu era calma, quem vive ao meu lado discordaria imediatamente. Já que agitação é o inverso de calmaria. E agitada era a palavra que usavam para me descrever, muitas vezes. Mas isso não me incomodava, pelo contrario, quem me descreveria como agitada, me conheceria o suficiente para ter notado meu gosto de ver o lado bom em tudo. Isso me ensinaram, a vida, e uma amiga. E hoje é um dos ensinamentos que levarei comigo por toda a vida, e para quem esta nela. Ver o lado bom das coisas, ou apenas ignorar os ruins. Isso me fazia não me incomodar com tão pouco, já que há tantas coisas realmente importantes para que eu realmente me importe. Porque no final, tudo acaba sempre se ajeitando, compreender as coisas, e aceitar com menos ferocidade, isenta você de dizer aquela frase que chega a ser dolorosa ‘ queria ter me importado menos com uma coisa tão medíocre’.
Carolina Assis

A vida é curta, quebre as regras, perdoe rapidamente, beije demoradamente, ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente, e nunca deixe de sorrir, por mais estranho que seja o motivo. Para que levar a vida tão a sério, se ela é uma alucinante aventura da qual jamais sairemos vivos? A vida não pode ser a festa que esperávamos, mas enquanto estamos aqui, deveríamos dançar. Eu aprendi q são os pequenos acontecimentos diários q tornam a vida espetacular.
William Shakespeare

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Não deixou nada evaporar.


– Você me ensinou que nada é para sempre.
- Mas, eu continuo aqui.
- Eu sei, é exatamente por isso.

Ela nunca entendeu o porque daquelas palavras. E eu sei, que nem mil explicações seriam o bastante para que isso acontecesse. A falta de oxigênio já não era mais pelo excesso de amor, e sim pela falta dele. A distancia fez com que o seu amor acabasse, eles nunca desgrudavam. Até então, para ele, tudo que permaneceu intacto tinha ido embora. Ela era diferente, ela ainda estava ali… Inteira. Aquilo o enjoou, e ele não poderia esperar nove meses para terminar. Deu naquele instante, luz a maior escuridão da vida dela, o adeus. Eu poderia descrever essa sensação em milhares de palavras, mas ainda sim seria incompleto. Sentimentos como aquele, não se descrevem, se escondem.

E foi isso que ela fez.
Não deixou nada evaporar, não chorou.
Faça o mesmo.

Br

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Não é desistir, é recomeçar.

Não existe um problema que não ofereça uma dádiva a você.
Você procura os problemas porque precisa das dádivas por eles oferecidas.
Richard Bach

Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora.
Não é desistir, é recomeçar
Paulo Roberto Gaefke


Algumas dores são tão intensas que parecem eternas.
Pois não são. É como diz aquela frase, caia sete vezes, levante-se oito.
Não apenas oito, levante se sempre, saiba que você levantara sempre.
Pois levantara mais forte a cada vez que cair, e o que te derrubou antes, não derrubara de novo. Caia e conheça a causa de ter caído, assim aprendera a enfrentar tudo, sem precisar ir ao chão de novo. Tenha paciência, força e esperança. Saiba esperar o que esta por vim, tenha paciência, e quando vim, lute para ficar de pé, se cair, tenha força para se erguer, mas não levante achando que não cairá de novo, mas saiba que você sempre poderá se levantar, tenha esperança. Entenda que tudo vem até você com único propósito, te fazer crescer, interiormente e na vida. O que acontece conosco são frutos do que fizemos acontecer, o mundo é redondo, o que você joga ao vento, voltara para você. No caminho ocorrera mudanças, até mesmo de velocidade e intensidade, mas sempre será suportável. Os problemas estarão presente por toda sua vida, cabe a você decidir quem derrubara quem.

Carolina Assis

Quando tudo esta correndo bem,
aproveite cada momento,
pois esta fase vai passar.
E quando tudo vai mal,
nada parece dar certo,
aproveite e aprenda o máximo com isso,
pois esta fase também vai passar.
[Desconheço o autor]